Bolsa de ar frio em Altura?

Bolsa de ar frio em Altura?

Na Primavera é recorrente ouvirmos falar em “Bolsas de Ar Frio em Altura”, “Cut-off Low”, “DANA”, “Gota Fria”, etc… tudo é exatamente o mesmo e vou explicar de forma sucinta o que é.

Primavera e Outono, alturas ideais para as famosas trovoadas que advém das Bolsas de ar frio em altura. Estas estações do ano são épocas de transição entre a estação fria e a estação quente e nessa transição há um elemento chave para o desenvolvimento destas bolsas: o Anticiclone!

Imaginemos uma rede de malha apertada (ou um peneiro) e imaginemos que temos um conjunto de pedras e areias que vão em direção a essa rede. As pedras acabam por não conseguir passar mas as areias (mais finas) seguem o seu caminho!

E o que isto tem a ver com as bolsas de ar frio em altura?

De facto, o processo é semelhante. As depressões que vagueiam no Atlântico têm baixo geopotencial em altura (ar frio em altura) e cavamento à superfície (pressão reduzida ao nível do mar). Olhemos para o cavamento à superfície como as pedras e o geopotencial como as areias que avançam contra o Anticiclone (a nossa malha, ou peneiro). Assim no nosso peneiro (o Anticiclone) acabam por passar as bolsas de ar frio em altura (o geopotencial mais baixo) e as depressões mais cavadas avançam noutras direções.

E como transportam ar frio em altura, adoram calor à superfície para despoletar trovoadas derivado de um processo que se chama convecção! Por isso mesmo, este tipo de depressões muitas vezes origina as trovoadas de final de tarde ou início de noite.

Mas nem sempre as trovoadas são só de tarde e início de noite já que estas bolsas de ar frio, por vezes, conseguem gerar cavamento à superfície e acelerar só por si a convecção a qualquer hora (foi uma depressão deste género a responsável pelo mau tempo na Madeira a 27 de Março).

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *