Natal traz chuva e vento no sapatinho

Posted by: admin Comments: 0 1

O Natal virá regado em todo o território e com algum vento, saiba mais detalhes de seguida!

Santa Claus is Coming to Town é uma das músicas mais conhecidas desta quadra natalícia, mas este ano não virá sozinho! Trará consigo vento e chuva forte aos Açores e Portugal Continental e também, mais de raspão, na zona norte da Madeira.

O culpado desta situação é a circulação de ventos a latitudes baixas que permite a aproximação de sistemas depressionários ao nosso país, como será o caso da depressão secundária B2, conexa da B1.

DIA 24 DEZEMBRO

De facto, como é mais a Oeste, tudo começará nos Açores que terão esta noite e manhã de dia 24 marcada por chuva que progredirá de ocidente para oriente, na deslocação da depressão B2 que se encontra em cavamento e que deixará ventos igualmente fortes pela região.

Começo por olhar para a precipitação em 24h pelo modelo ARPEGE nos Açores e recordo que a precipitação será sobretudo durante a noite de 23 para 24 e manha de 24, aqui já mais no Grupo Oriental.

De seguida, o mais importante a reter na noite de 23 para 24 é mesmo o vento que soprará forte de oeste/sudoeste, com rajadas que podem superar os 100km/h no Grupo Ocidental e mesmo até 120km/h nas zonas mais expostas e elevadas, como se vê na primeira imagem do modelo ICON.

Com o passar da madrugada e até a chegada da manhã, os ventos começam a reduzir gradualmente a ocidente e aumentar no Grupo Central e Oriental, onde se esperam rajadas até 90-100km/h e que igualmente podem ascender aos 120km/h nas zonas mais expostas e elevadas. Apesar da 2ª imagem mostrar 140, pretendemos reforçar algum conservadorismo que habitualmente temos e manter que, só mesmo em situações localmente extremas, poderão passar esses valores de 120km/h (ou em altitudes muito significativas, como a Montanha do Pico).

A chegada da tarde trará melhorias significativas aos Açores, enquanto a depressão se aproxima da Madeira e Portugal Continental.

Enquanto na Madeira não se espera chuva significativa, a não ser uma frente de fraca a moderada atividade sobretudo a partir do final de dia 24 e que será mais para as vertentes norte e noroeste (ver acumulado no dia 24 na primeira imagem abaixo), o vento aumentará de tarde no dia 24 e será moderado a forte na noite de Natal, com rajadas de oeste que podem chegar aos 45 a 80km/h e mesmo 85km/h nas terras mais altas, diminuindo com o passar da manhã no dia de Natal.

Por Portugal Continental, antes da chegada da Depressão B2, teremos ainda ação de uma fria a sul/oclusa a norte, associada ao sistema depressionário B1 e que evoluirá de noroeste para sudeste a partir de meio da noite de 23 para 24.

Deixará precipitação um pouco mais moderada a pontualmente forte na zona norte, onde será mais persistente ao longo do dia, mas regará todo o território continental (em regime de aguaceiros) e acompanhada de vento moderado, mas sendo moderado a forte no Minho e terras altas do norte e centro, onde poderá persistir, de componente sul, ao longo do dia 24. Essas rajadas mais fortes podem ascender aos 50 a 70km/h.

De seguida, deixo o acumulado para as 24h de dia 24 de Dezembro, pelo modelo ICON. Como se pode comprovar, mais persistência no Minho e essencialmente na barreira de condensação do Gerês e, na outra imagem, as rajadas máximas.

DIA 25 DEZEMBRO

Marcado pela aproximação durante a noite de 24 para 25 da Depressão B2 ao território continental e pela formação da depressão B3.

Neste momento, os ventos começam a curvar para nordeste, sinal de que o anticiclone começará a ganhar lugar de oeste para leste, onde se fixará a partir de 28, na Península Ibérica, para um final de Dezembro, Réveillon e início de Janeiro que promete ser seco.

O anticiclone não será, ao que nos parece, suficientemente resistente para aguentar os potentes ciclones no Atlântico, a latitudes muito baixos e que poderão vir a empurrá-lo mais para leste rapidamente depois de alguns dias de Janeiro se passarem.

Mas vamos então falar do dia 25 que, começará com uma noite de chuva por vezes fortes e acompanhada de rajadas moderadas a fortes no território continental, devido à aproximação da Depressão B2. De manhã, no dia 25, começarão a aparecer abertas no litoral e região sul e a chuva forte tende a centrar-se mais na metade interior e em regime de aguaceiros a norte. Com o passar da tarde, a chuva começar a escassear e algum sol brilhará por entre as nuvens.

As rajadas na noite de 24 para 25 serão da ordem dos 50 a 60km/h na metade litoral norte e dos 70 a 80km/h na metade litoral sul, podendo chegar, nas zonas altas aos 80-100km/h (pontualmente até mais). O vento deverá manter-se forte nas terras altas e litoral centro e sul ao longo do dia de Natal, com destaque entre Leiria e Beja (rajadas entre 60 a 75km/h). As imagens seguintes mostram o acumulado em 24h de precipitação e algumas das rajadas na noite de Natal.

Enquanto este é o cenário no Continente, a Madeira terá igualmente ação da depressão B2, através da sua frente, que deixará precipitação em especial nas vertentes oeste, com acumulados não muito elevados, como se pode ver na primeira imagem abaixo e o vento soprará igualmente moderado a forte, com rajadas de oeste até 40-75km/h e mesmo 85km/h nas terras mais altas.

Pelos Açores, inicia a ação da formação da depressão B3, cujo cavamento deverá já surgir mais a nordeste, mas que levará uma frente a evoluir de ocidente para oriente ao longo do dia de Natal, com mais abertas a oriente ao longo da manhã mas nublando mais para a tarde.

A frente deixará mais precipitação a ocidente e oriente e vento forte em todas as ilhas, igualmente com a mesma deslocação e com rajadas de sudoeste que podem chegar aos 80-95km/h e até 110-120km/h nas terras mais altas.

Desta forma, deixo o acumulado em 24h de dia 25 de Dezembro para os Açores, bem como a evolução das rajadas.

DIA 26 DEZEMBRO

Começa com a formação da depressão B4 na noite de 25 para 26 na zona dos Açores e evolução da mesma para nordeste, com forte cavamento e possível nomeação como Depressão CELIA, potencialmente pela Agência Meteorológica Espanhola. Tempo estável já na Madeira, com a subida do Anticiclone.

Assim, pese embora a depressão B4 se forme próxima dos Açores, a subida rápida progressão para nordeste, arrastará ar seco para a região e que trará um dia de muitas abertas em especial nos Grupos Central e Oriental, mas com mais nebulosidade e até alguma precipitação no Grupo Ocidental, em especial a partir da tarde, devido a outra depressão mais a oeste.

O vento continuará forte de sudoeste, primeiro durante a noite de 25 para 26, com rajadas até 70-85km/h em todas as ilhas e de até 100km/h nas terras mais altas. Enfraquecerá com o passar da manhã de 26, mas voltará a ser forte no Grupo Ocidental para final da tarde, com rajadas que continuarão de sudoeste, de até 80-95km/h no Grupo Ocidental e até 70-85km/h no Grupo Central, moderado a forte no Grupo Oriental até 70km/h.

Pela Madeira, como referido, o anticiclone começa a subir e com ele o tempo mais seco e mais horas de sol pela região, sem que haja lugar a nada de meteorologicamente relevante.

Pelo território continental, a noite de 25 para 26 será relativamente calma, começando a entrar precipitação a noroeste de madrugada e, com uma frente que evoluirá ao longo da manhã até ao Vale do Tejo e pontualmente já mais a sul (fraca e dispersa).

A chuva será forte e persistente a norte e centro-norte e em especial a oeste da barreira de condensação, mas igualmente no interior norte e centro-norte e apenas a partir de final e já durante a noite de 26 para 27 progredirá para sul (é a última chuva do ano na região do sul do Tejo).

A chuva será uma constante nesta região norte e centro-norte até dia 28 e mesmo noite de 28 para 29, altura em que deverá secar em todo o território.

O vento, que começará fraco a moderado, mas já forte nas terras altas da região norte (com rajada até 50 a 75km/h) tende a aumentar significativamente para final da tarde e durante parte da noite de 26 para 27, de sudoeste rodando para oeste, com rajadas que na faixa litoral norte e centro poderão situar-se no limite até 60 a 80km/h e nas terras altas poderão ascender a 90-110km/h e mesmo 120km/h em situações pontuais).

Alguns modelos indicam que a chegada da depressão poderá ser um pouco mais tarde, já de noite e madrugada de 26 para 27.

Como se pode ver na primeira imagem, espera-se muita chuva a norte e centro-norte neste dia 26 e que se estenderá pelo dia 27 e, cada vez mais fraca e localizada na metade litoral, dia 28.

TROVOADAS, TEMPERATURAS, MAR e NEVE

Trovoadas serão pouco expressivas, se ocorrerem. E a janela de oportunidade será principalmente durante a madrugada/manhã de dia 24 no litoral norte e centro ou, eventualmente, na costa do sul do Algarve. Contudo, o CAPE não favorece grande desenvolvimento de trovoadas.

As temperaturas tendem a subir gradualmente ao longo do fim de semana nas ilhas e igualmente em Portugal Continental, ainda que no dia 24 se verifique uma descida generalizada.

A neve continuará a ser uma miragem, à exceção dos pontos altos da Estrela que no fim de semana poderão ver cair alguns flocos, mas que rapidamente sofrerão ação da chuva e dissiparão.

O mar estará naturalmente muito agitado ao longo dos próximos dias, em especial no dia 24 em todo o país e depois mais nos Açores e zona norte e centro da costa continental.

Siga toda a informação em MeteoMira

Esta previsão tem o apoio da EVS PORTUGAL

Se gostar dos conteúdos da MeteoMira e quiser contribuir para o seu continuo desenvolvimento e melhoria, bem como ajudar na subscrição de serviços premium que adquirimos para lhe dar a informação o mais atualizada possível, pode fazê-lo através de:
IBAN PT50 0018 000322504419020 11
MBWAY 912101683

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.