Março regado nos primeiros dias?

Posted by: admin Comments: 0 0

Sim, parece que Março vai trazer finalmente mais chuva que os meses antecessores. Contudo, importa salientar que a média mensal de precipitação em Março já é muito mais baixa que nos meses que o antecedem, pelo que mesmo que os primeiros 10-12 dias de Março tragam mais chuva que o normal ao território continental, pouca diferença fará a nível hídrico…

Mas choverá em todo o lado? Vai ser bom também para o interior e sul?

A chuva prevista pelos modelos deriva da deslocação do jetstream mais para sul, resultado de um anticiclone na zona da Escandinávia, enfraquecendo o nosso guarda dos Açores.

Na imagem abaixo, é percetível por volta de 8-10 o Anticiclone na Escandinávia a tons quentes e a corrente de jet que traz depressões a latitudes mais baixas (a azul), entre Açores e Portugal Continental.

A resposta à pergunta parece clara… a chuva será desproporcional entre a zona de clima do tipo B (a azul) e as restantes, ou seja, vai chover bem mais nesses locais que nas zonas a creme (Clima do tipo A).

Na 2ª imagem abaixo, pelo ensemble do modelo Europeu ECMWF, conseguimos perceber que até dia 16 são esperados entre 100 a 190 litros por m2 no norte e centro-norte metade litoral, mas quando descemos e interiorizamos, nas zonas de clima tipo A e B da imagem 1, os acumulados oscilam em A entre 25 a 50 litros por m2 e em C entre 40 a 90 litros por m2.

É bem bom para o mês atual e representa certamente mais que o normal em grande parte do território (exceção feira ao sul do Tejo e interior centro), caso ocorra! Existem ainda dúvidas sobretudo a partir de dia 10… subirá a dorsal ou não?

A questão parece ainda de difícil resposta, mas olhando e acreditando nos 3 principais modelos que chegam até 10 dias de distância (ECMWF, GFS e GEM), as dúvidas são ainda maiores. De facto, há sinais de que possa continuar, sobretudo a norte a influência atlântica até meados do mês (15-17) e a dúvida parece residir nas zonas de menor precipitação, pois o geopotencial poderá subir rapidamente após a passagem de algumas depressões com deslocação nordeste por volta de 8-10 de Março.

Nas duas imagens seguintes, para o final de dia 9 de Março, apresenta-se otimista o modelo europeu, com a manutenção de um sistema depressionário a afetar toda a Europa Ocidental e com menos pressão na zona dos Açores, fazendo com que possa regar um pouco mais o sul do Tejo e interior. Mas o GFS, na 2ª imagem, mostra já sinais de inclinação do jet para nordeste, retomando mais a precipitação a norte e centro-norte metade litoral.

Mas haverão períodos de sol igualmente… aliás, a centro-sul e sul/interior, o sol até estará mais presente que a chuva! Chuva que sendo sob a forma de frentes molhará num período de 1 a 2h no máximo (a sul e interior 30 minutos a 1h) e depois seguirá caminho para outros locais na maior parte dos dias.

E vento, será forte? Haverá trovoada? Neve?

O vento no Continente não será excessivo face a uma situação normal de inverno! Não virá efetivamente e ao que tudo indica nenhuma tempestade histórica, nem ventos ciclónicos. Contudo, esta 5ª feira (3) o vento será em geral forte (com rajadas até 50 a 80km/h) e mais intenso poderá ser entre 8 e 10 de Março, com a passagem dos sistemas depressionários mais cavados, a noroeste do território continental (aí com rajadas que no litoral podem chegar aos 70-90km/h e nas terras altas até aos 100-110km/h, sendo que na maior parte do território se cifrarão nos 65 a 75km/h).

Vento sim, mas nada de anormal para a época!

Trovoadas, não são de esperar e a ocorrer serão pouco significativas e dispersas.

Neve voltará a terras acima dos 900-1000m no interior norte e centro.

Tanto palavreado para quê?

Para dizer que Março vai trazer mais chuva que o esperado anteriormente pela MeteoMira, sobretudo a norte e centro e principalmente a oeste das cadeias montanhosas. Felizmente o que se esperava ser apenas nos primeiros dias de Março vai alastrar pelo menos até dia 10-12 de Março, podendo estender-se a norte até meio do mês sensivelmente.

Não resolverá a seca, é verdade, e a sul não será nada significativo, mas toda a água conta num momento em que o ano hidrológico conta com um déficit de precipitação enorme (ver imagem abaixo, com quase todo o mapa a castanho).

A 2ª imagem mostra o índice de seca em Portugal Continental a finais de Fevereiro (estimativa IPMA), com a seca a estender-se a todo o país.

O que representa para as ilhas?

Para os Açores, a descida do jet representa a aproximação de sistemas depressionários que podem aumentar a intensidade do vento por volta de 7-10 de Março e a passagem de várias frentes.

Para a Madeira, este tipo de circulação afeta menos em termos de estabilidade, mas algumas frentes chegarão mais fracas ao Arquipélago (vento fraco a moderado pela Madeira).

As primeira imagem abaixo mostra a passagem de frentes pelos Açores, com especial relevância para os Grupos Ocidental e Central, com menos afetação ao Grupo Oriental e à região da Madeira. Os valores são em litros por m2 de acumulado até meio do mês de Março. Chuva sim, mas nada de extremamente agressivo para a região face ao normal.

A 2ª imagem mostra que entre 7 e 10 sobretudo, podem passar alguns sistemas depressionários mais cavados na zona dos Açores, com as rajadas a aumentarem até aos 80 a 100km/h. Tudo calmo na Madeira em termos de ventos!

Esta é uma previsão a médio prazo que afina a previsão mensal para a nova realidade, que felizmente nos trará mais chuva nesta primeira quinzena que seria de esperar!

Se gostar dos conteúdos da MeteoMira e quiser contribuir para o seu continuo desenvolvimento e melhoria, bem como ajudar na subscrição de serviços premium que adquirimos para lhe dar a informação o mais atualizada possível, pode fazê-lo através de:
IBAN PT50 0018 000322504419020 11
MBWAY 912101683

Siga toda a informação em MeteoMira

Esta previsão tem o apoio da EVS PORTUGAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.