Evolução Semanal 7-13 Março 2022 – Portugal Continental

Posted by: admin Comments: 0 0

2ª Feira (7) – Céu pouco nublado mas a tornar-se muito nublado para a tarde, primeiro no litoral e depois gradualmente chegando ao interior.

Já durante a noite de 2ª para 3ª feira, entrada de uma frente fria de fraca a moderada atividade, evoluindo do litoral para o interior com o decorrer da noite. Durará 4h a passar nos locais a norte e centro e 2 a 3h no litoral sul, diminuindo para 1 a 2h no interior sul. O final da frente pode trazer precipitação um pouco mais moderada no litoral norte e centro na noite/madrugada de 2ª para 3ª feira (situação de rápida passagem).

Formação de gelo ou geada no interior norte e centro.

Vento fraco a aumentar para final do dia no litoral.

A primeira imagem mostra a entrada da frente (setas a azul) e a 2ª a representação gráfica da chuva a entrar na noite de dia 7, evoluindo de litoral para interior (primeiro a norte e depois a sul).

3ª feira (8) – Aguaceiros em geral fracos a evoluírem de madrugada para interior e sul, passando a sudeste já de manhã e entrando de manhã novamente precipitação resultado de uma frente oclusa no noroeste continental e com regime de aguaceiros a norte do Vale do Tejo, com períodos de céu nublado a norte e centro e mais limpo a sul, limpando em todo o território para meio da tarde.

A neve pode cair acima dos 900/1000m a norte e dos 1100-1200m a centro.

Formação de gelo ou geada no interior norte e centro.

Vento em geral fraco a moderado.

Na primeira imagem o acumulado em 24h em termos de precipitação (um pouco mais de chuva no norte e centro-norte metade litoral e depois no extremo sudeste (isto durante a manhã de dia 8).

Na 2ª imagem, as nuvens mais marcantes a norte e centro.

4ª feira (9) – Períodos de céu mais nublado a norte e centro que a sul (onde o sol será mais marcante, acompanhado de nuvens altas), com ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco nas zonas a azul na primeira imagem abaixo (Minho essencialmente e pontualmente zona ocidental do distrito de Vila Real), decorrentes da passagem de uma “frentezinha” fria de pouca atividade.

Formação de gelo ou geada no interior norte e centro.

Vento fraco mas sendo moderado no Minho, de sudoeste, com rajadas até 50 a 60km/h (imagem 2 abaixo).

5ª feira (10) – Céu em geral pouco nublado ou limpo, pontualmente mais nublado a norte e centro interior e com neblinas ou nevoeiros matinais no interior norte.

Formação de gelo ou geada no interior norte e centro.

Vento fraco, pontualmente moderado no Gerês, com rajadas até 50km/h.

Nas imagens seguintes, os mapas mostram a ausência de precipitação e a 2ª imagem mostra a neblina matinal a cinza.

6ª feira (11) – Precipitação moderada a evoluir desde a madrugada de 6ª feira de noroeste para o Vale do Tejo já de tarde. Será em geral moderada no norte e centro-norte metade litoral e fraca a moderada até ao distrito de Évora, sendo em regime de chuvisco ou aguaceiros fracos mais a sul (possivelmente já de noite).

A cota de neve desce no final do dia para os 1100-1200m de altitude.

A imagem 1 mostra as zonas que podem exceder os 10 litros por m2 (marcadas a vermelho) e as restantes que terão menos que isso.

Vento em geral fraco, sendo moderado a pontualmente forte no Minho, Douro Litoral e interior norte e centro, com rajadas até 50 a 70km/h (imagem 2).

Fim de Semana (12 e 13 Março) – A única esperança em termos de real chuva para o território continental (no domingo), mas ainda indeciso sobre a evolução da mesma. Poderá estar associada à aproximação de um sistema ciclónico em deslocação para o Reino Unido, com forte cavamento e que será espremido pela ação anticiclónica, com a componente depressionária em altitude a ser encaminhada para a nossa latitude, formando uma depressão a sul ou sudeste do território continental.

Poderá arrastar ar frio em altitude que fará descer significativamente as cotas de neve, gerando eventualmente o maior nevão da época em cotas médias-altas (nomeadamente Gerês e Estrela, entre outros).

Mas poderá nada se passar, caso a depressão se encaminhe rapidamente para leste, com diminuição da quantidade de precipitação prevista atualmente. É um cenário que está em cima da mesa e não pode ser abandonado!

Pode dar um sistema ciclónico com ventos fortes no norte e centro, bem como em toda a faixa litoral e chuva intensa no domingo (e até neve acima dos 900-1000m), como pode pouca chuva dar… temos de continuar a acompanhar!

O cenário da imagem 1, pelo ECMWF representa um intenso ciclone a passar na norte da Península Ibérica e seria a situação mais intensa possível.

A 2ª imagem, pelo modelo GEM mostra a depressão a centrar-se mais a norte e com menor influência em termos de vento e chuva em Portugal Continental. Não podemos de momento afirmar nada, mas tendo em conta tudo o que se tem passado nos últimos meses, é um cenário muito plausível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.