Especial primeira quinzena Julho

Posted by: admin Comments: 0 0

Em primeiro lugar, resta-nos referir que Açores e Madeira passam pelos pingos da chuva, relativamente ao que de seguida se vai escrever.

A salientar apenas que as ilhas terão abertas e aguaceiros e com circulação maioritariamente norte e nordeste, que traz alguns dias de vento moderado a forte às vertentes norte da Madeira e às ilhas mais orientais dos Açores, com tempo mais estável a ocidente.

Mesmo em termos de temperaturas, numa primeira fase, não se espera que venham a afetar as ilhas com subidas como no continente, sendo que a partir de dia 6 poderão aumentar também na Madeira gradualmente…

PORTUGAL CONTINENTAL

Depois da nortada até dia 30 de junho – 1 de julho, o vento tende a diminuir e a rodar para outras paragens, deixando a metade litoral, primeiro a norte dia 1 e depois dia 2 em praticamente todo o território.

As imagens seguintes mostram exemplos quer do vento quer das temperaturas para alguns locais.

Um primeiro, para Aveiro, onde se vê na primeira imagem a redução do vento a partir de dia 1 e em especial dia 2 e, a segunda imagem, com a evolução das máximas dia-a-dia:

O segundo exemplo, para Bragança, onde se pode verificar a subida das temperaturas e a manutenção do vento ou mesmo incremento do vento a partir de dia 6, devido à forte lestada que se espera no interior norte e centro.

O terceiro exemplo, para Albufeira, mostra que à exceção dos dias 3 e 4 de julho, onde as temperaturas baixam um pouco, pela proximidade de uma bolsa de ar frio em altura, por norma, andarão nos 29 a 32ºC em termos de máxima. O vento, deverá descer um pouco a partir de dia 2 e mais substancialmente dia 4.

Importa salientar que teremos possivelmente a ação de uma bolsa de ar frio de reduzido espectro e de curta duração, que poderá ainda assim deixar algumas trovoadas no norte e centro nas tardes de 2 e 3 (situação localizadas e devidas ao aquecimento diurno).

NEVOEIROS NO LITORAL

Destaque ainda para uma situação que importa referir… os nevoeiros podem marcar presença pontual nas madrugadas e manhãs na faixa litoral até dia 6 sobretudo, devendo depois deixar de ter influência. Na maior parte dos locais levantará nas tardes e não ocorrerão todos os dias, mas os primeiros 6 dias poderão ter nevoeiros de advecção, devendo sobretudo ocorrer do distrito do Porto para sul!

As imagens seguintes mostram a visibilidade reduzida antes de 7 e a maior visibilidade depois de 7!

RISCO MÁXIMO DE INCÊNDIO

Julho deverá trazer muita ação aos nossos soldados da paz e promete ser um mês marcado por muito leste e por temperaturas quentes, com baixa humidade relativa.

A partir de dia 6 o risco de incêndio sobe exponencialmente, com o aumento das temperaturas e com a rotação dos ventos para leste, podendo ser forte a lestada no interior norte e centro.

A imagem seguinte mostra, em tons amarelo e laranja esse mesmo risco muito elevado, com as setas a indicar o sentido do vento.

Julho promete continuar depois com tendência de tempo quente e seco… aliás, os meteogramas apontam precisamente para temperaturas sempre acima da média ao longo do mês, com anticiclone reforçado e muita circulação leste (Ver linhas do meteograma sempre acima da média, a vermelho, para Coimbra e Beja).

Se gostar dos conteúdos da MeteoMira e quiser contribuir para o seu continuo desenvolvimento e melhoria, bem como ajudar na subscrição de serviços premium que adquirimos para lhe dar a informação o mais atualizada possível, pode fazê-lo através de:
IBAN PT50 0018 000322504419020 11
MBWAY 912101683

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.